LEIS DE DEUS

Os 10 mandamentos não são a Lei de Deus em si; são a aplicação da Lei de Deus no contexto judaico. (Hebreus 8:13; Romanos 9:4;Efesos 2:15-16; Galatas 3:19-27) Quando Jesus veio ao mundo, ele mostrou de fato o que era a Lei de Deus, ela é amor (a Deus e ao próximo), e a aplicação dela no contexto cultural da época, era que as pessoas fizessem do próximo uma extensão de si mesmas. (Mateus 22:39)Tudo tem um contexto. A Lei de Deus é imutável (e ela é amor a Deus e ao próximo), mas a revelação dela é contextualizada. Da mesma forma são os mais de 600 preceitos da lei mosaica. Todos tinham um significado claro para eles. (Hebreus 7:12;Gálatas 5:11)

Como poderia ser a aplicação da Lei de Deus a você hoje? (I João 3:23-24)

• Se você sabe que se você beber vai ficar descontrolado, agressivo, prejudicar as pessoas, causar confusão, agredir o próximo, em fim, qual é a Lei de Deus pra você? "Mantenha-se longe de bebedeira", se eu prejudico o próximo, propagando a dissensão, logo, é contra a Lei de Deus.

• E esse parâmetro deve ser seguido em tudo na vida no dia a dia. Por isso antes de perguntar se algo é contra a Lei de Deus, pergunte-se: Vai prejudicar alguém? Ferir? Magoar? É falta de amor? Simples assim. Por isso no evangelho o grau de maturidade e evolução está muito além da revelação judaica de uma cartilha de regras, ao invés disso a revelação de Cristo nós instiga a maturidade, ao discernimento, ao raciocínio. Por isso foi dito: "todas as coisas são permitidas, mas nem tudo convém, nem tudo edifica" (1 Coríntios 10:23)

• A Lei divina sempre visa gerar amor. Na lei de Moisés observamos muita coisa que para nós não tem sentido (como cuidados com a barba e com modelos de roupas), mas que para eles, naquele momento, fazia sentido e demonstrava de alguma forma que Eles adoravam a Deus. (Lv 19:27-28)


LEIS DO VELHO TESTAMENTO E O ANTIGO PACTO


• A própria bíblia nos informa que as leis bíblicas do velho testamento foram para Israel, direcionado primeiramente a um povo peregrino, no deserto, sem nação, sem terra, no meio do nada. FORAM CONTEXTUAIS, ESPECÍFICAS, INERENTE AS CIRCUNSTÂNCIAS E ÉPOCA. (Gl 3:13)

• O Velho Testamento, (Antiga Aliança), foi a palavra de Deus para um tipo de povo, o Novo Testamento (Nova Aliança), foi a palavra de Deus para outro tipo de povo. (Rm 9:4; At 15:5-12)

• Desde os primórdios o Criador, fez varias alianças com o homem, dentre as principais estão as alianças com Adão, Noé, Abraão, Moisés e a ultima aliança, com Jesus, um pacto feito para nós. Antes do sacrifício de Jesus, estava em vigor a aliança com Moisés, a Velha Aliança ou Antigo Testamento, este foi feito exclusivamente para o povo de Israel, descendestes de Abraão, o povo liberto da escravidão do Egito, (Dt 4:44), (Os. 11:1), (Dt. 23:3-5), (Is 43:3),(1 Cr 29:18), (1 Cr 17:24), (Gn 17:19) foi contextual, específico e transitório, serviu a seu propósito como um tutor, até a vinda do Messias, que a cumpriu em sua carne, trazendo um novo pacto, uma nova aliança. (Levítico 26:46; Rm 9:4; Ef 2:15-16; Gl 3:19-27; Rm 7:6)

• O velho pacto com Israel, compunha-se de leis, estatutos, preceitos, templo, sacerdote, práticas de culto divino, ritualísticas, sacrifícios e ofertas. O que não existe na Aliança com Cristo. (Hb 8:13; Hb 9:1)

• Novo Pacto, ou Nova Aliança anula a primeira, se o primeiro Pacto ainda vigora, qual a necessidade de um novo? (Hebreus 7:11,12,18; Hb 8:13).

• Jesus citou do Velho Testamento o que a seu respeito constava, em Moisés, nos profetas e nos salmos, (Lucas 24:27,44,45) mas em momento algum ele disse “fique com Moisés” Precisamos, ler o todo da bíblia a partir de Jesus e saber que todos os mandamentos, estatutos e juízos do V.t foram anulados em Jesus! (2 Coríntios 3:7, 14; Galatas 3:19-27; Atos 15:5-12)

• Os Cristãos não devem seguir o Velho Testamento, suas leis, estatutos e juízos. Um Cristão segue a Cristo (Gálatas 5:11). O fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê. (Rm 10:4)

• Obs: Quando Jesus viveu sobre a terra ele instruiu acerca dos preceitos da lei da antiga aliança, aos Escribas e Fariseus, estes eram Judeus e deveriam cumprir a lei desta aliança, ate que o sacrifício de Jesus - DO MESSIAS fosse consumado (João 19:30) Por isso, Jesus não veio pra tirar a Lei mas fazê-la cumprir seu propósito.

• "Esta consumado" a partir desse momento o véu do templo se rasga, e o Novo Pacto é confirmado (João 19:30)

LEI MORAL E CERIMONIAL

• Não existe Lei moral (Dez mandamentos) ou Lei cerimonial (todo o resto) o que existe é Lei de Moisés (que inclui os Dez mandamentos) e Lei de Cristo. O que existe é mandamentos de Moisés e mandamentos de Cristo, todas são Leis de Deus, mas dado a um público específico em circunstâncias diferentes. A lei de Moisés foi para um tipo de povo, a Lei de Cristo para outro tipo de povo. AS LEIS Mosaicas, (que inclui os 10 Mandamentos), foram substituídos pela Lei de Cristo. (Mateus 22:34-36; Hebreus 10:16; Gálatas 6:2).

• Quando se fala em Lei de Moisés, estão inclusos os Dez mandamentos, uma vez que, a bíblia não faz acepção entre lei moral e lei cerimonial. (Neemais 8:1,3, 8, 14,18)

• Jesus também, não fez distinção entre Lei Cerimonial e Lei Moral de tal modo que indicasse divisão dela em duas partes. (Mt. 5:17, 21, 23, 27, 31, 38)

• No novo pacto, Deus trocou o ministério gravado em letras de Pedras [meros mandamentos], pelo ministério do espírito na morte de Cristo. (II Cor 3:7-8)

• Libertados da lei, para que sirvamos conforme o novo modo do Espírito, e não segundo a velha forma da lei escrita. (Romanos 7:6)

• Quem cuida de cumprir a Lei de Moisés, não pode cumprir de maneira seletiva, deve cumprir TODA ELA, os 600 preceitos incluindo apedrejamento. (Gálatas 3:10) Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente. (Tiago 2:10)

• Todos aqueles, pois, que continuam nas obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. (Gálatas 3:10)

• Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído. (Gálatas 5:4)

• Quando os não Israelitas, que não têm a lei, praticam naturalmente o que ela ordena, tornam-se lei para si mesmos, embora não possuam a lei. (Romanos 2:14)

• Libertados da lei, para que sirvamos conforme o novo modo do Espírito, e não segundo a velha forma da lei escrita. (Romanos 7:6)

• Segue se os mandamentos não por causa da antiga aliança, mas sim por que eles são repetidos na LEI DE CRISTO (EXCETO O SÁBADO) Não em forma de regrinhas, mas em relacionamento humano.

ÉTICA DE CRISTO


• O ensino de Cristo é caráter demonstrado em nossas atitudes e não meros mandamentos (Hebreus 10:16; Mateus 5).

• A ética estabelecida por Jesus supera tudo que já houve em matéria de lei moral e toda e qualquer possibilidade dentro da ética humana. (Lucas 6:27-41)

• Jesus não queria produzir regras morais, ideias religiosas, corrente filosófica, mas transformar a natureza no nosso ser, acabar com a hipocrisia e a maquiagem moralista-social. Basta perceber como ele não se atrelava ao mero comportamento moral, mas sim a sua origem. Jesus atacava a causa e não os sintomas.

SÁBADO A SOMBRA DO MESSIAS


• O SÉTIMO DIA da semana como dia de descanso foi dado ao povo de Israel como memorial da libertação do povo hebreu do Egito (Dt 5:15). É um dos Dez Mandamentos, depois incorporados na Lei Moisaica.

• Sendo o Velho Testamento sombra das coisas futuras e não a realidade exata, a guarda do sábado semanal, dos anos sabáticos e do Ano Jubileu prefiguravam o vindouro Reinado de Cristo. (Hb 10:1; Col 2:17; Rm14:5).

• Cristo é o Senhor do sábado, pois ele simboliza a libertação do povo Cristão. (Mateus 12,1-8; João 8:36)

• Para o cristão, guardar o sábado não é guardar o dia da folhinha do calendário, mas sim guardar o sacrifício de Cristo, pois era esse seu real significado por detras da sombra, a consumação do sacrifício no último dia. (Cl 2:16-17; Hb 10:1)

• O sacrifício de animais para remissão de pecados, também era sombra, era a prefiguração do sacrifício definitivo do Messias que Jesus cumpriu na sua morte para remissão dos pecados do povo, assim aquele que volta a sacrificar animais para remissão de pecados, NEGA O MESSIAS, sacrifica-o novamente, pois este ritual era um memorial do Messias que já foi cumprido. Tudo que era um memorial do Messias foi cumprido por ele. Do mesmo modo, aquele que quer guardar o sábado DA LEI está NEGANDO O MESSIAS, sacrificando-o novamente, pois este também era um memorial que o Messias cumpriu.

SÁBADO O DECRETO
• Após a morte de Jesus, seus apóstolos nunca ordenaram a guarda do sábado. O sábado não foi incluído como requisito cristão em Atos 15:28, 29, nem mais tarde.

• No conselho de Jerusalém (Atos 15). Guardar o Sábado não era um dos mandamentos que os apóstolos julgaram ser necessário reforçar aos gentios (Atos 15:19-20).

• Nem Jesus nem seus discípulos faziam uma distinção entre as leis chamadas morais e cerimoniais. Citavam outras partes da Lei, bem como os Dez Mandamentos, e consideravam toda a Lei de igual obrigação para os que estavam sob ela. (Mt 5:21-48; 22:37-40; Rm 13:8-10; Tg 2:10, 11)

• As Escrituras declaram especificamente que o sacrifício de Cristo “aboliu . . . a Lei de mandamentos, consistindo em decretos”, e que Deus “apagou o documento manuscrito que era contra nós, que consistia em decretos . . . e Ele o tirou do caminho por pregá-lo no madeiro”. O que foi ‘abolido’, ‘apagado’ e ‘tirado do caminho’ era a inteira Lei mosaica. (Ef 2:13-15; Col 2:13, 14)

• Por conseguinte, o inteiro sistema de sábados, quer dias, quer anos, junto com o restante da Lei, foi terminado pelo sacrifício de Cristo Jesus. Isto explica por que os cristãos podem considerar “um dia como todos os outros”, quer seja um sábado, quer qualquer outro dia, sem temerem ser julgados por outrem. (Ro 14:4-6; Col 2:16)

• Paulo fez a seguinte declaração a respeito daqueles que escrupulosamente observavam “dias, e meses, e épocas, e anos "Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados" Paulo fez a seguinte declaração a respeito daqueles que escrupulosamente observavam “dias, e meses, e épocas, e anos: "Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.” Colossenses 2:16-17 ”Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz” Romanos 14:5-6 As passagens de (Rm14:5 e Cl 2:16-17) deixam bem claro que, para o Cristão, guardar o Sábado é uma questão de liberdade espiritual, não um comando de Deus

0 comentários:

Postar um comentário