Teologia da Prosperidade

Por Dinho
Quando se fala em prosperidade nos meios cristãos, imediatamente vem no coração o desejo em adquirir para si, abundância de bens materiais e viver em esplêndida mordomia. Mas vamos analisar acerca da prosperidade material do Velho Testamento e a Nova Aliança com Cristo, e em qual aliança estamos nós? A Teologia da Fé/Prosperidade tem raízes pagam e veio de E. W. Kenyon na década de 30, nos anos 50, essa teologia se tornou conhecida, através de um dos livros mais vendidos chamado, “O Poder do Pensamento Positivo” que foi lançado em Nova York, no Templo Religioso de Marble Collegiate. Mais tarde, alguns discípulos de Kenyon, colocaram-na em prática em seus Templos,
cresceram num sucesso absoluto por incorporarem técnicas psicológicas de motivação carreira e sucesso que hoje, se aprende em qualquer curso de marketing, posteriormente outros homens incorporaram as técnicas de lavagem cerebral e manipulação mental dos Nazistas. Seus pilares de respaldo estão em histórias do Antigo Testamento na Bíblia, exemplos como de Jó, quando Satanás tenta provar que o criador está errado ao dizer que seu servo fosse fiel, Satanás então pede que tire tudo de Jo, e segundo satan com certeza ele deixaria de ser fiel, porem mesmo depois de ter sido provado e perdido todos os seus bens, e pelo seu temor, humildade e reconhecimento a autoridade e poder do Deus altíssimo, foi agraciado novamente com os seus bens materiais, em porções dobradas provando a Satanás que mesmo tirando tudo de Jo este permaneceu fiel, pois Jo não estava ligado a bens materiais nem o colocavam acima do Criador como a Teologia da Prosperidade disfarçadamente faz.

Deus tem um propósito diferente, para cada povo e em cada tempo, Só porque aconteceu com isso com Jô, significa necessariamente que também assim será conosco? Pegam também o exemplo do poderoso Rei Davi, só porque o Rei Davi foi prospero, quer dizer que nos também devemos ser? Se a resposta for positiva, então assim como Deus matou o filho de Davi ele vai matar o nosso também, e tudo que aconteceu de ruim com Davi também vai acontecer conosco por conseguinte tantas coisas ruins que aconteceram com o povo de Israel, como maldições, saraiva, etc também deveria acontecer conosco.

Associações brilhantes, mas mentirosas, tanto é que fazem associações positivas apenas e se esquecem das negativas, a verdade e que próprio Deus julgou ser necessário que aqueles homens passassem por aquelas situações naquela época. No Caso de Jô se tratava de uma desafio de satanás apenas para aquele homem, Davi precisou ser um Rei, cada caso foi um caso...essas associações estão totalmente descontextualizadas e erradas de acordo com as escrituras. E mesmo em Malaquias 3.10, há promessa de prosperidades materiais para os dizimistas fieis, conforme uso da Lei de Moisés (Números 18.21-26). É preciso Analisar Tribo de Levi era uma tribo bem pobre e humilde, então todas as outras tribos reuniam a décima parte da lavoura para doar a tribo de Levi, e só ela poderia receber o dizimo, feita a doação eles usavam para atender aos necessitados e aos estrangeiros pois Israel um dia foi estrangeiro, Dizimo foi elemento da Lei do Antigo Testamento: Bênçãos (chuva) e prosperidades materiais (colheita) para o homem fiel a Lei de Moisés.

No Novo Testamento: vida eterna para os que amam ao próximo, justos, retos e humildes. Perceba cada aliança segundo o seu tempo e propósito de Deus para o povo. Porem hoje, libertos do jugo da lei e vivendo pela graça do Senhor Jesus Cristo em seu Novo Testamento, a nossa primazia não é voltada para as prosperidades materiais. Na Nova Aliança do Senhor Jesus, não encontramos mais a promessa de prosperidades, encontramos algo infinitamente superior a todos os bens deste mundo, A vida Eterna, e não há enigma algum para entender isso. Recentemente os adeptos da teologia da prosperidade, encontraram um verso no novo testamento que associaram a prosperidade,(tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei João 11.22), Analisando as situações em que tais palavras foram ditas, este versículo fala acerca da Ressurreição de Lazaro pela fé de Marta, algo impossível para qualquer homem e não tem nada a ver com prosperidade, satisfação pessoal cobiça e dinheiro.
Quem pede isso não conhece a Jesus.


Lamentavelmente, líderes de grandes Templos, que apesar de falarem no nome de Jesus, negam o efeito da sua palavra, negam o novo testamento, a nova aliança que o Criador fez para nós e por nós através de cristo, esses lideres inserem  a mídia no ambiente gospel, criaram um cifrão ($)  como símbolo de fé para os que buscam a prosperidade,  priorizando a vontade da carne e a materialidade, em detrimento a graça, as bênçãos espirituais e a oferta da salvação para a vida eterna. Não anunciam o mais importante que todos os bens deste mundo, o propósito de Deus para o homem, a salvação da vida eterna. O dinheiro poderá  suprir algumas necessidades materiais, e trazer alegria momentânea para as coisas deste mundo, mas também não compra tudo, e jamais irá lhe proporcionar a oportunidade de provar o dom da salvação para os dias vindouros.  No Novo Testamento não há uma só referência; sequer um versículo de promessa de abundância material para os que esperam pela vinda de Cristo (se alguém souber me informe).   “Ele” nos dá a confortável confiança que não precisamos nos preocupar com o amanhã, com coisas materiais como alimento e as vestes.

Quanto a bens materiais, 

 "Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes". (1 Timóteo 6:8) -

 Deus não é irresponsável, sabe que você necessita disso, por isso ele tem o compromisso de te dar o básico (Lc 12:31): comer e vestir, isso é o suficiente, e ele ja o fez, Deus te deu saúde e inteligência para que você trabalhe, para que com o suor do teu rosto tire seu sustento, (Gn 3:19) se quiser conquistar bens materiais, faça por você mesmo, não peça essas coias ao Criador, porque ele ja fez algo muito maior que qualquer bem material, o ar que você respira, a água que você toma, o fruto da terra, e o que está acima disso tudo, o mais valioso: A Vida Eterna comprado a preço de sangue! um alto preço! Vida essa que se alcança pela fé, e quem tem fé é amigo de Jesus, quem é seu amigo, obedece o seu mandamento! E o seu mandamento e esse: (1 João 2:4) (João 13:35) (João 13:34) (João 15:12) (João 15:17) (Rm 13:8) (Rm 13:9)

Devemos sim, buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e as demais coisas nos serão acrescentadas. Isso é, o essencial, o básico para a sobrevivência inerente ao nosso cotidiano carnal.


14 comentários:

Postar um comentário