É Crença ou é fé?

Por Dinho
Crença legado que é transferível como um pacote fechado. O evangelho é fé. A religião é crença. Ora, fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a convicção, a certeza e a prova das coisas que se não vêem, fé é um Dom, a instalação do absurdo contra toda lógica. Crença é o legado das coisas que se foram e que se vêem e com os fetiches que representam essas coisas, crença é humana, é mecânica e racional, é transferível é superficial. 

Religião é a fé na crença: Baseado em novas revelações, em novas visões e consequentemente, que de forma sutil e com o passar do tempo leva a uma irreconhecibilidade total da essência do evangelho pelo estelionato  através do invencionismo cinista, usando o nome de Jesus e dificilmente se vê alguém pregar o verdadeiro evangelho de Jesus, sem  existir a relatividade de compreensões isso é apostasia: que é entortar aquilo que um dia foi santo e reto daquilo que algum dia foi fé simples, creram e viram, mas se desviaram, transformaram o evangelho invencionismo em mercado, ou seja, sabem o evangelho de Jesus, se desviam ao evangelho religioso, levando assim a uma ausência total de fé original.

Houve um entorpecimento na coerência e no sentido do seus ensinamentos, e na simplicidade de sua proposta. Hoje vários negam seus ensinamentos e babam o nome de Jesus a todo instante, isso é a anti-realidade do evangelho é um reaprender apostólico descarado. Ensinam a viver na ostentação e na soberania absoluta. 

Pregam o materialismo, as coisas do mundo, o materialismo que tira a refletividade e sobriedade cegam e trazem a mesquinharia e alienação amor ao próximo que é um sentimento de boa vontade foi esquecido, hoje o que se vê é controle total, alienação e manipulação mental e a embriagues que é um surto mental de loucura e de imprudência

Jesus não veio através dos doutores da fé, de homens religiosos, ao contrario, veio dos humildes! Não era religioso. A religião manda servir a deus de forma adoecida pelos méritos próprios; o evangelho já deixou de ser anunciado a muito tempo, anuncia-se apenas atos religiosos que de nada se aproveitam. O evangelho de Jesus não é o evangelho religioso. Se você acredita que, participar de rituais, cerimônias, procissões te fazem crescer em fé, assim o faça, mas não se iluda, não pense que a freqüência a instituição ou práticas litúrgicas foram orientadas por Jesus para que se alcance a vida! A reunião ajuda a crescer a fé só isso, não em outra finalidade! Buscar a Deus é no intimo, no espírito, não é necessária a instituição para alcançar e ser discípulo de cristo! Se tiver fé, seu coração busca a verdade, a verdade é a vida, que deve ser vivida dia a dia para que se alcance a verdadeira vida!

Quanto a revelação do espírito santo? É sempre uma reafirmação do que nos foi dado e não no invencionismo relativista na sutilidade e cínismo!

QuantoCuras? Jesus nos alertou sobre muitos falsos prodígios e milagres, (Mt 24:4), (2 Co 11:13-15), (2 Tm 3:13), (Ap13:13-14; 16:13-14) quem estuda a bíblia sabe muito bem disso. Quando a cura é verdadeira, são mediante a fé, (Lc 18:42) é entre você e Deus, se você tem a fé plena e em nada duvidando (Tiago 1:6), não há a necessidade de pedir as outras pessoas que orem por você! Confie! Se sua fé ainda for fraca, você precisa que os irmãos interceda por você SIM. Deus cura quando não há meios, Deus cura quando há meios. Deus também não cura com meios ou sem meios. Isso tudo é físico, inerente a matéria, ele curou como fez no inicio da cristandade a fim de que se provasse que ele seria o Messias, como dito pelos profetas. O importante é a vida eterna e não essa!!! Fique tranqüilo e calmo, fique na fé, use os meios tecnológicos, exemplo: os raio gama que identificam o câncer através de seu corpo foram criados por Deus, tudo foi criado por meio dele. Todavia ele não tem obrigação de curar ninguém. A promessa é vida eterna! (João 3:15). Lembre-se a tribulação prova o valor da fé, traz perseverança experiência e esperança que traz maturidade, todavia essa leve e momentânea tribulação não se compara a vida eterna!    

Quanto a Bíblia? Ela é o conjunto de algumas das inúmeras escrituras antigas, cheia de alegorias e simbolismo, que relatam o contexto histórico da infância dos povos primitivos, é  uma tradução de outra tradução, e portanto, diferente das escrituras Judaicas, assim sendo, é obvio que na Bíblia você também tem a revelação do engano, da mentira, do equivoco, principalmente no Velho Testamento! (tanto é que ela vive sendo revisada) é por isso que deve se analisar o contexto e as circunstâncias e não o texto apenas. Mas também nela contém a revelação do, amor de Deus por um povo que se alimentava da mentira e do engano, muito mais que da verdade! É preciso lembrar que "a Bíblia não é a escritura sagrada, e sim fragmentos delas, ou o que sobrou delas, traduzidos para o Português"

Quanto a chavão "Não Deixar a Congregação?" Não deixe de se reunir, congregar é reunir para conversar acerca da palavra, não é deixar a denominação religiosa Denominação Religiosa! Os líderes dizem: "Não Pode sair da Igreja, ir para o mundo, tem que permanecer na videira!" João 15  "Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto." Para os Religiosos "Permanecer em Jesus", [João 15], é permanecer firme na "igreja", frequentando  participando e se submetendo a tudo. Do mesmo modo, "dar fruto", segundo os religiosos e suas emoções condicionadas por anos de engano religioso, é evangelismo como programa, é acampamento como devoção, é célula de crescimento, é cantar no grupo de louvor, é ir à reunião de oração, e, sobretudo, é dar o dízimo em dia. E o mandamento de amar uns aos outros é algo que os crentes entendem como amar os que são iguais a eles enquanto os tais não ficarem diferentes. Nesse dia eles viram desviados. Ainda no mesmo andar de engano, os religiosos pensam que "ser lançado fora" da Videira é ser disciplinado pelo Agricultor Pastoral ou pelo Conselho de Agricultura que aplica o Corpo de Doutrinas disciplinadoras e excludentes, aos quais supostamente não se equivocam ao separar o joio do trigo no campo do mundo-igreja. Ser “amigo de Jesus” [João 15], para os crentes é estar em dia com a doutrina, o dizimo e a freqüência.Assim, para a maioria dos crentes, emocionalmente, é assim que João 15 é sentido e praticado. Ora, o resultado é o desastre cristão desses quase dois mil anos! Na Verdade: O que Ele dizia é apenas isto: Absorvam a minha Palavra; o meu ensino; e o pratiquem com amor por mim e por todo ser humano. Se vocês sempre crerem que a Vida de vocês está em mim e vem da obediência ao mandamento do amor, então, vocês serão meus amigos; e, assim, toda a verdade de minha Palavra será fato e bem na vida de vocês. Mas, sem mim, sem vida em meu amor, sem absorção do Evangelho no coração, por mais que vocês tentem viver e buscar o bem, de fato vocês serão apenas como galhos soltos, secos e mortos; existindo sob o engano de que existe vida em vocês, quando, de fato, pela própria presunção de vocês, estarão mortos sem o saberem. 

Quanto a Hierarquia Religiosa: Bispos, Diáconos, Presbíteros e Pastores? Paulo se referia a uma palavra não traduzida, é uma palavra simples: Pastor é só um "guia", o restante, tratam-se de sábios, anciões, ajudantes.... ISSO NADA TEM A VER COM HIERARQUIA RELIGIOSA IMPERIALISTA ROMANA que está aí...Esses ministros (serviçais) serviam para ajudar no entendimento da palavra e edificação da fé, até que essa pessoa amadureça! (Ef 4:13) Não é para sempre!!! É só até o discípulo ter o conhecimento e alcance a unidade e plenitude da fé, (Hb 5:12) daí em diante é dar continuidade ao processo e anunciar o evangelho, deixando assim o guia, da mesma forma que Jesus fez com os apóstolos e os apostolo com seus discípulos! Esse guia, não é esse SACERDOTE que está aí hoje, líder de Culto Divino no púlpito Eclesiástico templocentrista, que de forma prepotente se auto-intitula PASTOR/PADRE. Esse sacerdócio que está ai se chamando de Pastor e Padre foi abolido por Cristo (Hb 4:14; Hb 7:14; Hb 8:13;Hb 9:1) juntamente com o templo e o culto! Quando Paulo disse que Jesus mesmo deu uns para pastores, (Ef 4:11-14-atenção verbo no passado o Pastor era Pedro, apenas Pedro) outros para Ministros (Paulo), Presbítero, Diácono, Bispos, (que salientando nada tem a ver como ministério da hierarquia religiosa atual), (Efésios 4:11) até que tenham maturidade e não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente, o assunto aqui neste trecho deve estar em concordância com esse outro, (Hebreus 5:12) ATENÇÃO: HOJE, nosso único pastor (Hebreus 13:20; Marcos 14:27) e intercessor (1 Timóteo 2:5; Hebreus 12:24; Hebreus 8:6; Hebreus 9:21; João 2:1;) é Jesus, não é homem, ninguém toma para si essa honra (Hebreus 5:4). Hoje, temos a palavra escrita do NOVO TESTAMENTO, não temos mais pastores homens, hoje é Jesus o único mediador e intercessor e Pastor. (João 10.11-13; Hebreus 4:14; 1 Timóteo 2:5). Ficamos TOTALMENTE dependente de Deus e independente dos homens, (essas foram as idéias, que nos salvaram do TERROR do CATOLICISMO ROMANO, com o grito da reforma protestante no Sec XV, hoje esses ideais morreram e se transformaram num catolicismo que fez dieta, ou seja, a religião evangélica). Sem arrogância, não existe mais sacerdote homem, virgem Maria, Santos, Anjos ou qualquer morto, qualquer que seja o intercessor. Todavia temos Evangelistas que são os que anunciam o evangelho, isto é, todos nós que o anunciamos!  

PORTANTO, religião é crença, líder religioso é estelionato, e o evangelho deve ser anunciado por evangelistas e estudado ATRAVÉS DO NOVO TESTAMENTO!

E você? vive na fé ou na crença?

17 comentários:

Postar um comentário